Portuguese English Spanish

Brasileiros buscam chance em universidades americanas através do futebol

Intercâmbio Br Sporting Universidades e Ensino Medio Intercâmbio Br Sporting Universidades e Ensino Medio

"Brasileiros sonham em seguir carreira esportiva, mas diploma de universidade é garantia de futuro de muitos deles".

O futebol, ou o “soccer”, como é chamado pelos norte-americanos, nunca foi o forte nos EUA. A principal competição nacional, a Major League Soccer (MLS) ainda não vingou. Mas o país desperta o interesse de muitos brasileiros. Além de receber salários em dia e viver bem, outro atrativo chama a atenção dos atletas: a necessidade de ingressar nos estudos para ter espaço nos times de base.

A estratégia é clara: se o atleta não vingar como jogador profissional, ele terá oportunidade de seguir carreira em outra profissão com diploma na mão.

É o caso de Paulo da Silva, 28 anos, que passou por todas etapas como atleta universitário e chegou fazer pré-temporada no Dallas FC. No entanto, dores crônicas no púbis encurtaram a carreira de Paulo, que acionou seu “plano B”: trabalhar com economia e finanças, diploma obtido após estudar gratuitamente enquanto defendia times da high-school.

Já o meio-campista do Dallas FC, o brasileiro Bruno Guarda, 26, conseguiu acesso à principal liga do país, Ele ainda concilia estudo (pago pelo clube) e futebol, restando um ano para se formar. Hoje ele se vê em situação confortável nos EUA. Há três anos no profissional americano, o jogador sonha defender o XV de Piracicaba, clube onde começou, mas conta que dificilmente deixará a Liga dos EUA até o fim da carreira. Não vale apostar no incerto, diz.

“Acho muito difícil alguém sair da MLS, porque eles oferecem todas as condições possíveis. No dia exato cai o dinheiro na conta. A estrutura é excelente. Tirei o green card recentemente, e sei que se um dia encerrar a carreira, poderei ter outra profissão, porque estou próximo de me formar. Aqui eles investem na gente”, declara Guarda, vice-campeão da MLS em 2009.

O santista Fábio Joaquim, 31, tentou ser profissional no Brasil. Chegou a treinar no Botafogo-PB, mas reprovou a estrutura do clube. Pouco depois, e se inscreveu em um programa de caça talentos do futebol na Califórnia, em 2005, conseguindo bolsas e ajuda de custo até chegar a Naia, espécie de competição colegial norte-americana.

A ideia de atuar na Major League não vingou, mas Fábio concluiu os cinco anos de faculdade de contabilidade e atualmente trabalha em um banco no Texas.

“O colegial americano que cede atletas para o profissional. Isso faz com que todos os atletas tenham uma base muito boa. E eu jamais teria como pagar uma universidade nos Estados Unidos e ainda me sustentar aqui. O esporte me deu essa chance. Vivi com o futebol nos EUA até os 27 anos, e hoje trabalho com finanças”.

fonte: Jornal Nossa Gente, ed. 63

 

A BR Sporting Recruitment oferece bolsas de 30% a 100% de estudos em Universidades e Ensino Médio americanas através do seu talento no Vôlei, Futebol ou Tênis. Saiba mais aqui e cadastre-se gratuitamente aqui.

voltar ao topo

Login Atletas

Pesquisar

Artigos Recentes

Entre em contato

Local: PO Box 690485, Orlando, Florida, 32869, EUA

Telefones/Whatsapp: 407-722-2100 (EUA) | (19) 99477-8756 (BR) | (11) 97344-4602 (BR)

E-mail: contato@brsporting.com

Skype: brsporting

Google+